"A igualdade de gênero liberta também os homens"
 
07Jul

"A igualdade de gênero liberta também os homens"

602 Visualizações
Claudio Herique

 

Compartilho com vocês minha entrevista para a revista Brasileiros, onde tive a oportunidade de falar sobre a igualdade do ponto de vista masculino e os benefícios que ela traz não somente para os homens, mas também para os relacionamentos do século XXI. Reproduzo abaixo alguns trechos da entrevista:
Você disse que depois que se acostumou com a ideia de ser dono de casa sentiu uma “liberdade”. Como você enxerga sua posição social hoje?
O que eu quis dizer é que uma sociedade onde não há mais papéis predeterminados acaba libertando também os homens. Não existe mais aquela pressão de ter que ser o provedor da casa a todo custo. Tem homem que sequer suporta a ideia de ganhar menos do que sua mulher, o que é uma bobagem sem tamanho. Alguns homens deixam de aproveitar momentos maravilhosos com seus filhos porque cuidar das crianças é “tarefa da mulher”.
Meu papel social hoje é de inspirar as pessoas, convencer principalmente os homens de que ganhamos muito em apoiar e exercer a igualdade. Sou fã de carteirinha da Daniele e a razão disso é que reconheço como não é fácil para as mulheres passarem por cima do preconceito e do machismo para vencerem na carreira profissional. Estou convencido que ao compartilhar minha história, estou contribuindo, um pouquinho que seja, para fazer um mundo um pouquinho mais igual para a minha filha. Gostaria que ela enfrentasse menos dificuldades do que minha esposa enfrentou. Quero que ela tenha a oportunidade de fazer o que ela quiser, ser uma executiva de sucesso ou uma dona de casa, não importa. Mas que isso aconteça por uma opção pura e simplesmente dela, e não por uma imposição da sociedade. 
Quais os benefícios de fazer parte de um casal igualitário?
A vida fica melhor para ambos. Casamento tem que ser parceria. Hoje em dia só faz sentido se juntar a alguém se você tiver objetivos em comum com essa pessoa. E isso implica que para atingir esses objetivos em comum, um tem que ajudar o outro. Homens e mulheres devem compartilhar as tarefas e responsabilidades. A igualdade, na minha opinião, não é numérica, não é matemática. Não é dividir meio a meio as tarefas ou o dinheiro do casal, por exemplo. Igualdade, para mim, é quando ambos se veem na mesma condição, e, por isso, ambos podem fazer qualquer coisa a qualquer momento. Eu posso cuidar da casa e minha esposa ser a provedora, ou vice-versa. O que vai definir quem faz o quê não é o gênero, mas sim as oportunidades que se apresentam naquele determinado momento.
Claudio em seu novo "local de trabalho" (foto e legenda original da matéria)
Você acha que qualquer homem conseguiria fazer o mesmo que você faz pela esposa? Por quê?
Claro que sim. Nunca tive a pretensão de ser o primeiro dono de casa. Existem muitos por aí. O que falta para muitos ainda é a coragem de assumir isso naturalmente. Todo o homem que for aberto para encarar a ideia de que não existem mais papéis predefinidos, que isso não tem nada a ver com masculinidade, pode e deve fazer o mesmo por sua companheira. 
Sinceramente, não acredito que fiz nada de especial para minha família. Fiz porque amo as pessoas à minha volta e isso é muito mais importante do que o julgamento que os outros possam fazer de mim. O meu único mérito talvez seja apenas o de contar para todo mundo que uma quebra de paradigma como essa pode ser muito bem sucedida. E absolutamente natural.
 


Posts Relacionados


  • Macho do Século XXI" é notícia na Rádio CBN

    448 Visualizações
    Claudio Henrique

    A jornalista Mara Luquet conversou com o âncora do Programa CBN Brasil, Carlos Alberto Sardenberg, a respeito do livro e o novo papel do homem no novo século. Ouça a íntegra desta matéria no link abaixo:

Comentários